Estados Unidos amenizam risco da pandemia do Brasil de ‘muito alto’ para ‘alto’

Estados Unidos acabam de amenizar a situação do Brasil em relação à pandemia do novo coronavírus. O Brasil agora é considerado de risco “alto” e deixou de ser “muito alto”, na avaliação do Centro de Controle de Doenças (CDC).
Compartilhe esta notícia:
  • Alteração de Risco:
    Os Estados Unidos reduziram o nível de risco da pandemia no Brasil de “muito alto” para “alto”.
  • Requisitos de Viagem:
    Viajantes não vacinados devem evitar viagens não essenciais ao Brasil. O CDC aconselha que todos os visitantes possam estar em risco de contrair e espalhar variantes da COVID-19.
  • Green Card e Vacinação:
    A partir de 1º de outubro de 2021, será exigido comprovante de vacinação contra COVID-19 para candidatos ao green card1.
  • Política para Turistas Estrangeiros:
    A Casa Branca está examinando uma política para permitir a entrada de estrangeiros vacinados nos EUA, com exceções limitadas.

Brasileiros nos EUA

No site do CDC dos Estados Unidos, o órgão informa que viajantes não vacinados devem evitar viagens não essenciais ao Brasil e que, devido à situação atual no País, todos os visitantes podem estar em risco de obter e espalhar variantes da covid-19.

Já a página da Embaixada dos EUA no Brasil informa que o Brasil passou para o Nível 3 nos conselhos de viagens, que diz para reconsiderar o deslocamento. Vale ressaltar que viajantes estrangeiros que desejarem entrar em solo brasileiro precisam apresentar um teste negativo para a covid-19.
Entre as restrições impostas a cidadãos do Brasil, continua em vigor a necessidade de quarentena de 14 noites em um terceiro país, como México, além da apresentação de testes negativos para a covid-19.

 

Estados Unidos passarão a exigir vacinação contra covid-19 para requerimento de Green Card

De acordo com uma nova medida do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), a partir de 1º de outubro de 2021 será exigido comprovante de vacinação contra covid-19 para candidatos ao green card, documento que permite a residência permanente nos Estados Unidos para cidadãos estrangeiros. Atualmente, o governo estadunidense já solicita comprovantes de diversas outras vacinas, como rubéola, pólio, hepatite B e tétano.

No Brasil, estima-se que existam aproximadamente 1,1 mil candidatos ao green card em espera da fase final de seus processos imigratórios. A longa lista deve-se principalmente ao fechamento parcial da Embaixada dos EUA em Brasília e dos consulados dos EUA no Brasil (Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Porto Alegre) desde março de 2020, devido à pandemia.

O novo requisito de vacinação será aplicado tanto para solicitantes do documento ainda em seus países de origem aguardando a entrevista final em uma Embaixada ou Consulado americano quanto para aqueles que já se encontram nos Estados Unidos aguardando por um ajuste de status imigratório.

A exceção da nova regra aplica-se somente para solicitantes que sejam muito jovens para receber a vacina, solicitantes que tenham alguma contraindicação médica que não lhes permitam ser vacinados contra a covid-19 ou ainda para aqueles que desejem solicitar uma dispensa da vacinação alegando motivos religiosos ou convicções morais, o que será julgado caso a caso pelo USCIS.

 

Estados Unidos estudam exigência da vacina para turistas estrangeiros

A Casa Branca informou que continua examinando uma política para permitir a entrada de estrangeiros vacinados nos Estados Unidos, em meio a críticas e protestos das nações europeias devido às restrições de viagens relacionadas à covid-19 que continuam sendo impostas.

No entanto, segundo a secretária de Imprensa, Jen Psaki, as novas regras não foram finalizadas e, por enquanto, as proibições continuam em vigor, apesar dos danos que estão causando às relações entre os EUA e a Europa. No último dia 30/09/2021, a União Europeia reestabeleceu as restrições entre o país, impondo requisitos aos viajantes não vacinados.

“Continuamos a trabalhar em todas as agências federais para desenvolver uma política de viagens internacionais consistente e segura, incluindo viagens da Europa. Isso envolverá intensificar os esforços para proteger o povo americano, inclusive potencializando os protocolos de teste para viagens internacionais. Também pode envolver a garantia de que, com o tempo, os estrangeiros que entram nos Estados Unidos sejam totalmente vacinados, com exceções limitadas”, disse Jen em uma coletiva de imprensa.

A secretária de Imprensa da Casa Branca reforçou que nenhuma decisão foi tomada ainda. Mas os próximos passos podem incluir a exigência de que os turistas estrangeiros sejam vacinados contra a covid-19 para entrar no país norte-americano.

Fonte: Panrotas.

⚡Informações importantes
❱ Últimas Notícias

❱ Canton Fair 2024: O Maior Evento de Comércio Internacional da China

❱ Orlando, o Destino Preferido para as Férias de Julho

❱ Air France anunciou recentemente que irá operar voos diretos entre Salvador e Paris

❱ China estende isenção de visto para viagens de curta duração até 2025 para países selecionados da União Europeia

Menu
Lojas

Entre em contato com nossos consultores.

Escolha seu contato!