Pelo Mundo
TANZÂNIA

 

Brasileiros que viajam a turismo ou negócios para Tanzânia precisam de visto. A entrevista pessoal não é solicitada, desta forma a Mundial Vistos realiza todo o processo para maior comodidade do passageiro.

Prazo de análise do visto: 7 dias úteis fora o prazo de envio e retorno do processo.

Visto de emergência: análise em 2 dias úteis mediante pagamento de taxa extra cobrada pelo Consulado.

 

Documentos solicitados para o visto:

 

Formulário devidamente preenchido e assinado (serviço de preenchimento é realizado pela Mundial Vistos);

Passaporte com validade mínima de 6 meses;

Duas fotos recentes no tamanho passaporte (5 X 7);

Provas do plano de viagem (Ex: Itinerário de vôo, passagens de ida e volta para a República Unida da Tanzânia e comprovantes de reserva em hotel ou outro tipo de acomodação);

Prova de Condições Financeiras para viagem a Tanzânia/Zanzibar mediante cópia de Extrato Bancário atualizado, IR completo com recibo e os 3 últimos contracheques;

Vacina contra a Febre Amarela;

 

Tipos de visto:

Visto de Turismo (Single Entry) - uma única entrada no país no período de até 90 dias (3 meses) - validade de 3 meses á partir da data de emissão.

Visto de Múltipla Entrada (Multiple Entry) - até três entradas no país no período de até 12 meses (1 ano).

Visto de Transito - transito na Tanzânia em período máximo de 14 dias;

* Uma taxa adicional é cobrada em TODOS os serviços de visto de urgência. A Embaixada emite estes vistos em até 2 (dois) dias úteis. 

* Encorajamos todos os aplicantes a submeterem seus documentos em até 30 dias da viagem a Tanzânia.

 

Informações Especiais

Tanzânia é tida como um país seguro para turistas, não tendo registro de atividade de grupos extremistas nem de crimes violentos. Apesar disso, o viajante deve estar atento a uma modalidade de furto que tem sido bastante comum contra estrangeiros, sobretudo na capital Dar es Salam: os criminosos atuam contra pedestres de dentro de um automóvel e arrancam bolsas ou mochilas, o que por vezes resulta em escoriações. Em casos mais graves, duas vítimas (não brasileiras) faleceram em função de ferimentos na cabeça nos últimos três anos.

Em vista disso, recomenda-se que viajantes brasileiros evitem andar pelas ruas com bolsas ou mochilas, especialmente se estiverem portando bens de valor, como câmera fotográfica, laptops e passaporte.