Pelo Mundo
REPÚBLICA TCHECA
Brasileiro não precisa de visto até 90 dias de permanência.

Informações Especiais

Não há particularidades culturais ou legais que possam levar a situações constrangedoras ou de risco. A língua, contudo, pode criar obstáculos. O idioma inglês é bastante difundido em estabelecimentos comerciais (principalmente na região turística), porém nem tanto entre policiais e funcionários públicos que não lidam diretamente com estrangeiros.Recomenda-se a posse de um pequeno guia de conversação em tcheco e do número do telefone de plantão da Embaixada.

A República Tcheca é um país relativamente seguro, sendo raros os casos de assalto à mão armada ou agressão física. Dada a intensa atividade de batedores de carteira, contudo, em especial no centro de Praga e nas estações rodoviárias e ferroviárias, recomenda-se que o viajante deixe seus documentos no cofre do hotel e porte apenas uma fotocópia. 

Dinheiro e cartões de crédito devem ser colocados em local seguro (bolso interno ou pochete) e bolsas e malas devem ser sempre vigiadas.Não é necessária nenhuma vacina para entrar em território tcheco. Conforme referido acima, porém, o viajante deve dispor de um seguro internacional no valor mínimo de 30.000 euros.

Embora Praga desponte naturalmente como principal destino turístico, a República Tcheca oferece uma ampla gama de opções atrativas aos viajantes dispostos a ampliar sua estada no país. Dentre os destinos mais celebrados estão as cidades de Cesky Krumlov e Kutná Hora (ambas patrimônios da UNESCO), Karlovy Vary (famosa pelas águas termais e cristais), os castelos de Karlstein e Konopiste e o Parque Nacional de Sumava. Pacotes a todos esses destinos podem ser adquiridos facilmente em quiosques de agências no centro de Praga (Martin Tour, Premiant City Tour).