Pelo Mundo
MALI
Brasileiro precisa de visto e não tem representação no Brasil. Certificado internacional de vacina contra febre amarela.

Informações Especiais

Aos viajantes no Mali, recomenda-se a permanência em sua capital, Bamako. Caso deslocamentos para fora de Bamako sejam imprescindíveis, recomenda-se aos viajantes limitarem-se às regiões ao sul e a oeste da capital. É amplamente desaconselhável as visitas às regiões a leste da capital, especialmente à região norte do país (região da cidade de Timbuctu, Gao, Kidal). Nessa área existe alto risco de violência ligada a atividade terrorista, tendo ocorrido sequestros de diversos estrangeiros na região de Timbuctu e Mopti (cidade de passagem para a região do país Dogon), existindo atualmente cerca de 10 cidadãos de nacionalidades diversas desaparecidos naquela área. 

A cidade de Timbuctu é a mais procurada pelos turistas, embora a região do País Dogon apresente geografia e cultura peculiares, que também geram interesse aos visitantes.Atualmente, porém, o turismo é desaconselhado em toda a zona onde se localiza a cidade de Timbuctu, bem como na área ao norte e a oeste desta cidade, dado o risco de sequestro.

A zona onde se encontra o País Dogon, no entanto, é considerada de relativa segurança (apesar de já ter ocorrido casos de sequestro na região). Ao turista que deseja visitá-la, recomenda-se a contratação de guias de comprovada experiência e idoneidade, de preferência a partir de Bamako.

Guia local é essencial, uma vez que fora de Bamako quase a totalidade da população fala somente as línguas locais e qualquer tipo de infraestrutura é precário. Recomenda-se, ademais, a utilização de veículo de tração nas quatro rodas para explorar o interior do País. Um automóvel com tração quatro por quatro, alugado com motorista e guia, custa por volta de FCFA 100.000 (U$ 200) por dia.