Pelo Mundo
CAMBOJA
O visto é solicitado no momento da chegada (“visa on arrival”). O passageiro deve preencher formulário de visto distribuído durante o voo ou disponível nos postos de fronteira, bem como ter consigo foto e 30 dólares americanos para o pagamento da taxa do visto.

Vistos também podem ser obtidos “online”, no sítio do Ministério do Turismo do Camboja, no site www.mot.gov.kh/GettingToCam-bodia.aspx?sm=67&Ads=1.

Certificado internacional de vacina contra febre amarela é exigido independentemente do motivo da viagem.

Informações Especiais:

Em Phnom Penh, capital cambojana, tem sido relativamente alta a incidência de furtos de carteiras e bolsas. Deve-se ter especial cuidado ao tomar moto-táxis ou “tuk-tuks” carregando bolsas ou mochilas. Há registro de casos em que motocicleta foi cercada por duas outras e a bolsa ou mochila foi puxada com violência, acarretando ferimentos sérios (inclusive a morte de uma turista européia). Sugere-se aos visitantes brasileiros deixarem seu passaporte em lugar seguro e terem consigo apenas uma cópia, que inclua a página com o visto de entrada cambojano. É necessário cuidado especial com o trânsito, devido à possibilidade de comportamentos inesperados por parte de motoristas. Em caso de problemas, recomenda-se que o visitante brasileiro entre em contato com a Polícia de Turismo do Camboja (telefone 012 942484), cujos membros falam inglês e têm a reputação de prestar atendimento diferenciado. Em razão de tensões entre a Tailândia e o Camboja na região do templo cambojano de Preah Vihear, situado junto à fronteira entre os dois países, aconselha-se evitar visitas ao referido templo ou a locais próximos.

No campo e em regiões de orestas, existe o perigo de minas e bombas que não explodiram, especialmente nas províncias de Siem Reap, Battambang, Banteay Meanchey, Kampong Thom e Pursat. Turistas não devem caminhar em áreas de orestas nem em campos de arroz sem a companhia de guias locais. Áreas perto de pontes pequenas localizadas em estradas secundárias são especialmente perigosas. Nas áreas de ruínas de templos localizadas em zonas mais remotas, deve-se caminhar somente nos espaços já limpos ao redor das ruínas.